PublicaçõesAcompanhe nossas publicações

A Johnson & Johnson foi condenada a pagar US$ 25 milhões de indenização a uma mulher com câncer. A decisão de um júri de Nova York foi tomada nesta terça-feira (21), de acordo com a agência "Bloomberg". A mulher alega ter contraído um tipo raro de câncer, ligado ao amianto, de alguns dos produtos da empresa que contêm talco. Além da indenização, o júri se reunirá na próxima semana para definir uma possível multa. Essa não é a primeira condenação da empresa envolvendo seus produtos com talco. Em março, um tribunal na Califórnia ordenou que a empresa pague US$ 29 milhões a outra mulher com câncer. Antes disso, em julho de 2018, um tribunal da cidade de Saint Louis, no Estado americano de Missouri, ordenou que a empresa pagasse US$ 4,7 bilhões a 22 mulheres e suas famílias. "Nossos produtos não causam câncer. Temos diversas pesquisas, inclusive feita pela FDA [Food and Drug Administration, agência reguladora para alimentos e medicamentos dos Estados Unidos], que dão suporte à qualidade dos produtos", afirmou Alex Gorsky, presidente global da Johnson & Johnson, na época da primeira condenação. Na condenação de agora, a Johnson & Johnson disse que "este processo foi alvo de significativos erros legais e de evidências", acrescentando que deu entrada a um pedido de recurso. A empresa também disse que acredita que estes erros garantem uma chance de reversão da decisão após pedido de recurso

София plus.google.com/102831918332158008841 EMSIEN-3